Mãe perde parte do intestino após ter gaze compressiva deixada na barriga durante parto na Maternidade Dr. Peregrino Filho, em Patos - Kelson Arts

Mãe perde parte do intestino após ter gaze compressiva deixada na barriga durante parto na Maternidade Dr. Peregrino Filho, em Patos

A vida da jovem Mariana Dantas Silva, 18 anos, residente em Cacimba de Areia (PB), foi marcada por uma situação que a deixou perplexa após a realização de um parto cesariana, ocorrido no dia 09 de novembro de 2015, na Maternidade Dr. Peregrino Filho, em Patos. A moça alegre e disposta agora está abatida e depende da ajuda de familiares para ações corriqueiras do dia a dia.
O bebê de Mariana, um lindo garoto, não teve os carinhos da mãe nos primeiros meses de vida, pois desde o dia que saiu da Maternidade Dr. Peregrino Filho, a jovem sentia dores abdominais, no entanto, tanto ela como as demais pessoas imaginavam serem dores normais, pois o parto cesariana, de fato, causava certo desconforto.
As dores aumentavam cada vez mais. Dois meses depois Mariana voltou para a Maternidade
Caso Mariana Dantas Silva
 em busca de melhoras para seu caso. A barriga da moça apresentava deformação e ela relata que sentia algo estranho dentro do corpo. O local da cirurgia apresentava aspectos de infecção e secreção purulenta. A jovem teve que ser internada na Maternidade, porém ela confessa que só fazia piorar ao ponto que a família decidiu retirar Mariana da internação mesmo sendo contestada pela direção da Maternidade.

Mariana disse que o médico Dr. Odir Pereira, que também é diretor da Maternidade Dr. Peregrino Filho, a examinou durante a sua internação, mas a moça relata que o médico disse que estava tudo normal. Mariana comenta que o médico se mostrou insensível e até causou mais desconforto ao averiguar a cirurgia dela que doía bastante e já não respondia a medicação prescrita.
Mariana realizou um exame de ultrassonografia na própria maternidade, mas relataram para ela que estava tudo dentro da normalidade, porém ela ouviu murmúrios de alguns profissionais que diziam que algo estava errado. A médica que realizou a cirurgia em Mariana foi Dra. Socorro que relatava a família não se preocupasse, pois estava tudo dentro da normalidade.
Ocorre que no mês de março de 2016, as dores são mais violentas e a família decide levar Mariana para o Hospital de Trauma de Campina Grande. Os parentes contam com apoio de amigos e solidariedade dos médicos do Trauma. No Trauma, Mariana realiza uma tomografia que acusa objeto estranho no abdômen. O que Mariana temia se confirma: foi esquecida uma gaze compressiva usada durante a cirurgia para o parto cesariana ocorrido em novembro na Maternidade Dr. Peregrino Filho.
A operação para retirada do objeto foi realizada no dia 03 de março de 2016. A equipe médica do Hospital do Trauma de Campina Grande que realizou a cirurgia foi composta pelos médicos Dr. Valeriano, Dra. Milena e o Dr. Robério. A descrição da operação não deixa dúvidas: “retirada de compressa cirúrgica”. Mariana passou 25 dias internada no Hospital de Trauma de Campina Grande e perdeu uma parte do seu intestino ocasionado pela presença da compressa que causou infecção em órgãos.
A reportagem fez contato com a assessoria de comunicação da Maternidade Dr. Peregrino Filho para explicações sobre o caso exposto. O departamento responsável relatou que preferia se posicionar após a publicação da matéria no patosonline.com


Jozivan Antero – Patosonline.com

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.