Irmãs de 1 e 6 anos morrem de parada cardíaca com 4h de diferença no RJ - Kelson Arts

Irmãs de 1 e 6 anos morrem de parada cardíaca com 4h de diferença no RJ

Duas irmãs, uma de 1 ano e dez meses e a outra de 6 anos, morreram após terem uma parada cardiorespiratória entre a noite de quarta-feira (11) e a madrugada desta quinta-feira (12) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

As meninas, que moravam no bairro Custodópolis, apresentaram um quadro de febre e vômito e foram levadas para o Hospital Geral de Guarus (HGG) onde foram atendidas e liberadas. Mas horas depois, as duas voltaram a apresentar os sintomas e a família as levou para a UPA, onde as duas morreram.
A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que realizou um bloqueio epidemiológico com medicamentos na casa e nas escolas das meninas. A suspeita da causa das mortes é meningococcemia, já que elas não haviam tomado a vacina contra meningite, segundo a Saúde.
O secretário Municipal de Saúde, Geraldo Venâncio, concederá entrevista coletiva às 11h desta sexta-feira (13), na sede da Fundação Municipal de Saúde (FMS). As meninas foram sepultadas na tarde desta quinta no Cemitério do Cajú.
Meninas passaram por dois hospitais
Meninas moravam no bairro Custodópolis (Foto: Inter TV/Reprodução)Meninas moravam no bairro Custodópolis
(Foto: Inter TV/Reprodução)
De acordo com o HGG, Ana Vitória Cândido Silva, de 1 anos e 10 meses, deu entrada às 15h55, e Joyci Cândido Silva, de 6 anos, deu entrada 17h12. O hospital disse que ambas foram atendidas, medicadas e ficaram em observação, mas estavam sendo acompanhadas por médicos diferentes. Elas foram liberadas com quadros clínicos estabilizados e ambas sem febre, segundo a unidade.
A coordenação da UPA disse, através de nota, que a paciente Ana Vitória deu entrada na unidade às 21h07 de quarta em parada cardiorrespiratória. A unidade informou que foram feitas manobras de ressuscitação, mas a menina não resistiu. 
Joyci deu entrada na UPA à 1h05 desta quinta apresentando quadro de febre, vômito e fraqueza, de acordo com a UPA. A unidade disse que menina foi submetida a exames de sangue que apresentaram resultados sem nenhuma alteração. Joyci foi medicada e permaneceu em observação até as 5h, quando sofreu uma parada cardiorrespiratória. Ela também foi submetida a manobras de ressuscitação, mas morreu.
Também através de nota, o HGG informou que a direção está levantando os prontuários com os atendimentos e junto à epidemiologia municipal, vai investigar as causas das mortes. A expectativa da Saúde é o caso seja elucidado em 15 dias.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.